Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Livros’ Category

o livro é lindo: grande e com bolinhas de verniz em alto relevo. ai, adoro uma capa diferente!

.

Ganhei esse livro da Mel, minha amiga e correspondente aqui do Mona em New York. Já tinha lido alguns contos (todos fabulosos) da Clarice, mas não conhecia ainda esse lado dela, o de “jornalista feminina”. Os textos desse livro são muito interessantes… na minha opinião, Clarice ensina direitinho como ser uma mulher bem casada, e que mantém o casamento; e ponto. Cá pra nós… shhhhh… eu acho que a Clarice só topou escrever esses textos porque ela tinha acabado de separar do marido, estava com dois filhos pequenos e precisava se manter; quer dizer, o marido era diplomata, podia dar tudo o que Clarice precisava, mas Clarice era uma mulher com M maiúsculooô. Mas isso não tira a beleza da narrativa de Claris. Eu admiro essa habilidade dela no trato com a palavra e com os públicos que ela conquistou. Eu já quis ser a Clarice um dia… rs

Voltando… Correio Feminino é uma coletânea de textos publicados na imprensa brasileira que têm o objetivo de mostrar uma outra Clarice, menos instrospectiva e mais trivial, afinal, podemos ser o que quisermos, na hora em que quisermos. Power, babies!
.

.

Antes, queria lembrar uma frase dela que eu acho linda, delicada… “Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada”. Não tem nada mais certo: a gente escreve; quem lê se emociona, e a palavra passa do papel à alma, da sua caneta para a boca de outro, para o coração de alguém.

Por essas e outras, nosso blog existe. 🙂

.
.
Vamos agora ao texto que eu queria mostrar.
.
O dever da faceirice

Algumas mulheres, felizmente poucas, relegam a faceirice a um plano secundário, explicando esse desinteresse como “superioridade intelectual”. Nada mais falso. A mulher moderna sabe que, apesar da evolução da ciência e das artes, o homem continua o mesmo, e o principal atrativo que encontra na mulher é a sua aparência física. Julgar que porque se casou com ele está dispensada de seduzi-lo é outro grave erro. O homem é volúvel. Sua busca da “mulher ideal” é apenas a forma romântica com que enconbre essa volubilidade, e geralmente envelhecem sem descobrir realmente o que querem da mulher. Só sabem que a querem. Sempre bonita e renovada, se possível.

Um rosto bonito, uma figura elegante sempre exercem grande poder sobre eles. A mulher que ama a um deles tem de fazer tudo para prendê-lo , portanto, esse tudo é a sedução diária e constante. Eu sei, minha amiga! É cansativo isso, e um pouco tolo, mas que se há de fazer?
.
Se o seu marido está acostumado a vê-la despenteada, em chinelas, de roupa desleixada, sem pintura, aos poucos ele irá esquecendo a figurinha bonita que o atraiu antes, quando você só lhe aparecia enfeitada e perfumada. Comecerá a perguntar a si mesmo o que existe em você, afinal, de interesse… e a resposta é perigosa, minha cara! Por outro lado, a rua está fervilhando de mulheres bonitas, mais bonitas porque têm a atração do desconhecido e do proibido. Nenhum homem, numa hora destas, tem imaginação bastante para ver, sob as carinhas de boneca encontradas na rua a mesma figura de mulher de chinelas, despenteada e mal cuidada que ele deixou em casa.
.
Renan, com grande sabedoria, já dizia: “A mulher, enfentando-se, cumpre um dever; ela pratica uma arte, arte delicada, que é mesmo, até certo ponto, a mais encantadora das artes”. A faceirice é, portanto, obrigação para a mulher. Nem a mulher de negócios, nem a cientista, nem a mulher de letras, nem a esportista dispensam esse dever primordial para a conquista do homem. Afinal, podemos pensar deles o que quisermos, mas precisamos deles para completar a nossa felicidade, não é mesmo? Façamos, portanto, por conquistá-los.
Clarice Lispector; organização de Aparecida Maria Nunes – Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
.
.
.
Quero ouvir tudo o que vocês têm a dizer! Pronunciem-se!
.
Anúncios

Read Full Post »

Pílulas Comprimidas

Sempre me pareceu que nossos concidadãos tinham duas paixões desenfreadas: as ideias e a fornicação.

A torto e a direito, por assim dizer.

(trecho do livro “A queda”, Albert Camus)

Há tempos esse livro rodeia minha cabeceira. Iniciei sua leitura umas boas três vezes, mas sempre desistia. Livro tem mesmo dessas coisas de momento. Logo após cair de cara no chão, ao fim de uma festa, achei oportuno reiniciar sua leitura.

Anda me fazendo um bem danado.

Read Full Post »

dá-lhe simone!

Em setembro será lançada nos EUA a biografia que conta os segredos (e sacanagens, brincadeirinha! hehe) da relação dos filósofos franceses Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir. Segundo o livro A Dangerous Liaison, de Carole Seymour-Jones, a escritora feminista era voraz por sexo. ui ui ui

Já o parceiro gostava de “ficar deitado nu com mulheres e fazia sexo com certa regularidade, mas sem tanto prazer”. A autora escreve também que o próprio filósofo dizia que a relação tinha acabado porque ele não conseguia saciar a vontade da amante.

Além de ter sido escritora, filósofa, feminista, ter escrito romances, monografias sobre filosofia, política, sociedade, ensaios, biografias e uma autobiografia, ela ainda arranjava tempo para “relaxar”. 🙂

Simone, te valorizo muito! Se você estivesse aqui, com certeza iria fazer um rock mujeres com a gente.

Read Full Post »